Tensão Arterial: Hipertensão e Hipotensão

PressãoArterial

O que é a tensão arterial?

O sangue circula através de vasos sanguíneos (principalmente nas artérias e veias), sendo o seu objetivo fornecer oxigénio e nutrientes aos vários órgãos.

A tensão arterial corresponde à pressão exercida pelo sangue nas paredes das artérias. É constituída por dois valores, comummente designados por pressão arterial “máxima” (sistólica) e “mínima” (diastólica). O valor mais alto, a sístole, ocorre quando o coração se contrai; já o valor mais baixo, a diástole, ocorre quando o coração relaxa e se distende, depois do batimento cardíaco.

 

Valores de tensão arterial recomendados

Os valores de tensão arterial recomendados são comuns a todas as idades. Por isso, devem ser regulados desde cedo para ser mais fácil controlar os seus níveis com o avançar da idade. É mais comum as pessoas passarem a ter níveis de tensão arterial mais elevados na idade adulta, estando desta forma mais propensos a certos problemas de saúde, como as doenças cardiovasculares. E é importante saber que, quanto maiores os seus níveis, maiores são as consequências.

Os níveis de tensão arterial devem estar situados abaixo dos 120/80mmHg. O primeiro valor corresponde à pressão sistólica e o segundo à pressão diastólica.

 

Hipertensão (tensão arterial alta)

A hipertensão é um dos problemas de saúde mais comuns na nossa sociedade. Cerca de 600 milhões de pessoas sofrem desta doença, que causa pelo menos 3 milhões de mortes por ano. Sem sintomas (exceto quando a tensão arterial sobe demasiado, altura em que o hipertenso pode ter tonturas, dores no peito ou cabeça ou fraqueza), a tensão alta contribui para o desenvolvimento de várias doenças graves, como é o caso das doenças cardiovasculares. Pela ausência de sintomas e de consequências a curto prazo, uma boa parte das pessoas que sofrem de hipertensão negligenciam o tratamento ou nem sequer sabem que são hipertensas, vindo a sofrer mais tarde danos irreversíveis em vários órgãos do corpo. Segundo estudos, uma pessoa hipertensa que não controle a doença vai sofrer de uma doença mais grave num prazo de 15 anos. As chaves são, por isso, a prevenção e monitorização regular dos níveis.

Os hipertensos têm oito vezes mais probabilidades de virem a sofrer de um AVC (Acidente Vascular Cerebral), três vezes mais probabilidades de sofrerem um enfarte do miocárdio, e cinco vezes mais probabilidades de sofrerem de insuficiência cardíaca.

 

Estágios da Hipertensão

 A hipertensão apresenta três estágios. Quanto maior o estágio, maiores os riscos:

  • Estágio I: níveis superiores a 140/90mmHg e inferiores a 160/100mmHg;
  • Estágio II: níveis superiores a 160/100mmHg e inferiores a 180/100mmHg;
  • Estágio III: níveis superiores a 180/100mmHg.

 

Fatores de risco

  • Obesidade: o excesso de tecido adiposo provoca a criação de mais vasos sanguíneos para os irrigar, pelo que o sangue precisa de ser bombeado com mais força;
  • Hereditariedade: uma grande parte dos casos de hipertensão são herdados dos pais;
  • Colesterol elevado;
  • Consumo exagerado de sal: a hipertensão é mais comum em países cujas pessoas consomem mais sal;
  • Fumar: um cigarro aumenta a tensão arterial durante 30 minutos. Por este motivo, um fumador tem a tensão arterial mais elevada durante grande parte do dia;
  • Álcool e cafeína: estas bebidas fazem subir os níveis de tensão arterial;
  • Inatividade física;
  • Stress: o estado emocional de uma pessoa influencia bastante os níveis de tensão arterial. Algumas pessoas têm níveis de tensão arterial elevados durante o dia, mas bastante mais baixos à noite;
  • Idade: com o avançar da idade, as veias envelhecem, perdendo a capacidade de se dilatar. Há uma maior incidência de hipertensão em pessoas com mais de 50 anos.

 

Consequências da Hipertensão

Quando não é controlada, a hipertensão provoca danos no coração, rins, olhos, cérebro e artérias. Aqui ficam algumas consequências:

  • Coração: se a pressão nos vasos sanguíneos é maior, o coração precisa de bombear mais o sangue, esforçando-se mais;
  • Rins: a hipertensão causa muitos danos nas artérias que se encontram dentro dos rins;
  • Olhos: a arteriosclerose (endurecimento das artérias) pode levar a lesões na retina;
  • Cérebro: esta doença é o fator de risco mais importante para o AVC (Acidente Vascular Cerebral).

 

Tratamento da Hipertensão

A hipertensão não tem cura, mas pode ser controlada através de um estilo de vida saudável ou, se necessário, através de medicação prescrita pelo médico. Se toma medicamentos para a hipertensão, siga sempre as instruções dadas, continuando o tratamento mesmo que se sinta bem.

A medição da tensão arterial deve ser feita por todos, de forma regular, mas as pessoas que sofrem de hipertensão devem fazê-lo com mais frequência, para terem a doença sob controlo.

 

Mudanças alimentares para baixar a Tensão Arterial

O principal objetivo da dieta deve ser a redução da quantidade de sal ingerida. Como basicamente tudo o que ingere ao longo do dia tem sal na sua composição, torna-se um desafio controlar a dose diária recomendada.

As quantidades de sal recomendadas para pessoas saudáveis são:

  • Dos 19 aos 50 anos: aproximadamente 3,8g diárias;
  • Entre os 51 e os 70: aproximadamente 3,3g diárias;
  • Depois dos 71 anos: aproximadamente 3g diárias.

Aqui ficam algumas dicas:

  • Leia atentamente os rótulos: alguns alimentos contêm bastante sal;
  • Evite o consumo de alguns alimentos ricos em sal, tal como enchidos, queijo, caldos, batatas fritas de pacote, molhos, refeições pré-cozinhadas ou refrigerantes;
  • Substitua ou reduza a quantidade de sal por ervas aromáticas ou especiarias;
  • Prefira azeite e vinagre para temperar saladas, em detrimento da maionese, mostarda, ketchup, molho de soja ou outros molhos;
  • Opte, sempre que possível, por refeições caseiras. Evite restaurantes e take out;
  • Consuma pão e cereais integrais;
  • Consuma moderadamente chocolate preto. Este chocolate contém flavonóides (antioxidantes) que ajudam a dilatar as paredes das veias diminuindo, assim, a tensão arterial.

Outros alimentos indicados:

  • Frutas frescas;
  • Iogurtes e queijo magros;
  • Carnes brancas sem pele;
  • Peixes gordos, ricos em Omega 3 (por exemplo, salmão).

A evitar:

  • Fritos e conservas;
  • Queijos amarelos, como suiço, parmesão, provolone;
  • Presunto, mortadela, bacon e salame;
  • Doces;
  • Ovos (é recomendado, no máximo, o consumo de 3 ovos semanalmente);
  • Patês e miúdos;
  • Bebidas alcoólicas, milkshakes e bebidas energéticas.

 

Hipotensão (tensão arterial baixa)

A hipotensão, ao contrário da hipertensão, não potencia problemas de saúde graves, e ainda protege o nosso organismo contra muitas doenças cardiovasculares. No entanto, quem sofre de hipotensão evidencia alguns sintomas, como tonturas, distúrbios de concentração e cansaço.

Segundo autoridades de saúde, sofrem de hipotensão as mulheres com níveis de tensão arterial inferiores a 100/60mmHg e homens com níveis de tensão arterial inferiores a 110/70mmHg.

A hipotensão não é considerada uma doença.

 

Sugestões para quem vive com hipotensão

Quem sofre de hipotensão deve procurar sempre ativar a circulação, prevenindo desta forma as tonturas. Algumas medidas simples para ativar a circulação:

  • Use mais sal: se não estiver grávida nem sofrer de doenças cardiovasculares, aumentar um pouco a ingestão de sal pode ser uma solução (sempre dentro dos níveis de consumo recomendados);
  • Beba mais líquidos: quanto maior a quantidade de líquidos no organismo, maior é a tensão arterial. Por isso, aumente a ingestão de líquidos, como água, chá ou infusões, de preferência sem açúcar. Evite abusar do café e chá preto;
  • Evite ingerir álcool: o álcool promove vários problemas circulatórios e aumenta a eliminação de líquidos;
  • Coma mais vezes e em menor quantidade: quando comemos uma refeição, o sangue concentra-se no trato digestivo para ajudar na digestão, aumentando os sintomas de hipotensão principalmente na primeira hora a seguir à refeição;
  • Pratique exercício físico: desportos de resistência ativam a circulação. Evite também ficar de pé durante grandes períodos de tempo;
  • Levante-se devagar: especialmente de manhã, permaneça cerca de um minuto sentado(a) na cama, para evitar tonturas.

A hipotensão pode também ocorrer no seguimento de doenças mais graves, como por exemplo, hemorragias, envenenamentos, traumatismos, queimaduras profundas, entre outras. A situação de tensão arterial baixa mais grave designa-se por choque, em que a pressão do sangue é insuficiente para irrigar os tecidos do organismo. Pode, inclusive, levar à morte.

 

Como medir a tensão arterial

É importante medir a tensão arterial sempre à mesma hora, porque o nosso organismo tem um ritmo biológico variável (a tensão arterial aumenta de manhã, baixa à tarde e aumenta novamente no final do dia, sendo o seu nível mais baixo à noite). Por este motivo, deve medir a tensão arterial sempre à mesma hora, para que os valores sejam comparáveis. É importante manter um registo das medições, permitindo desta forma ter um maior controlo sobre a doença, além de ser necessário medir a tensão arterial regularmente, mesmo que a hipertensão esteja sob controlo.

Cerca de 10% das mulheres sofrem de hipertensão durante a gravidez. Se está grávida, meça regularmente a tensão arterial e, se apresentar valores mais elevados, contacte o seu médico.

Regras para uma boa medição da tensão arterial:

  • Não fumar nem beber café uma hora antes da medição;
  • Prefira uma posição confortável, sentado(a), e meça a tensão arterial depois de descansar de dois a três minutos;
  • Não meça a tensão arterial se tem vontade de urinar. A bexiga cheia aumenta a tensão arterial até 10mmHg;
  • Leia as instruções do seu medidor de tensão, para ter a certeza que sabe usá-lo corretamente;
  • Se o seu aparelho de medição for de pulso, mantenha o pulso ao nível do coração durante a medição. Se o medidor for de braço, ficará automaticamente ao nível correto;
  • Não fale nem se mova durante a medição;
  • Se medir a tensão arterial mais do que uma vez, espere um a dois minutos entre cada medição, para que as artérias aliviem da pressão.

 

Fontes:

  • tensoval.pt;
  • tuasaude.com;
  • clinicameihua.pt;
  • saude.ig.com.br;
  • medicinapreventiva.pt;
  • minhavida.com.br.

 

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s